terça-feira, 12 de outubro de 2021

Lobo patrimonialista em pele de ovelha liberal

 Não se deixe enganar, enquanto os patifes de Brasilia se travestem de ovelhas liberais se dizendo santos por meio de um discurso pretensamente liberal, são na verdade lobos em busca de expandir seus privilégios patrimonialistas.

O discurso liberal é apenas de fachada, ora, eles insinuam desejar aprovar a tal PEC 32 - Reforma administrativa para os mais íntimos - pelo desejo louvável de querer economizar dinheiro público, investindo assim em saúde, educação, segurança e afins.

A economia deles é no salário dos servidores públicos concursados, mas não dos marajás, somente daqueles que estão na base da pirâmide de remunerações.

Também não escrevem uma linha sequer para tratar dos chamados cabides de emprego, que deixam muitos de nossos órgãos públicos mal assombrados, isso se dá especialmente, mas não somente, no Legislativo.

Uma reforma no RH do setor público que se diz minimamente séria deve realizar medias como limitar o número de gastos com comissionados, bem como o número de cargos em si, além de desenhar parâmetros para seleções de cunho mais exigente, tornando assim os hoje fantasmas em profissionais para somar e não para mamar.

Aparentemente o governo não tem votos o suficiente, deputados com bom senso? Na verdade eles estão com medo de aprovar esse bicho em época de eleição, o governo deve entrar comprando parlamentares com emendas, vamos ver que bicho vai dar.

Reforma administrativa trava na Câmara e governo promete emendas para quem votar a favor


domingo, 19 de setembro de 2021

O mito de que professor ganha mal - Parte 3: Mas Astronauta, porque você não da aula então?

 Bom, voltando rapidamente a um tema clássico aqui do blog, este terceiro artigo da série não bate fortemente nas teclas que já tratamos antes. Mas, vamos apenas recapitular rapidamente as muitas vantagens do cargo:

  • Férias muito extensas
  • Carga horária muito baixa
  • Concursos fáceis de classificar
  • Salário razoável, condizente com a carga horária
  • Sacralização do professor na cultura tupiniquim e consequentemente corporativismo e lobismo forte em Brasília, o que deixa a categoria menos vulnerável a reformas radicais
  • Aposentadoria cinco anos mais cedo mesmo trabalhando pouco (considere que uma professora mulher pode aposentar 10 anos mais cedo que um não professor homem) 

Me refiro neste post a professores de educação básica, importante frisar, os de nível superior em universidades públicas estão pareados com os melhores concursos deste país.

Pois bem, já comentei aqui em outros posts que a minha formação superior é em licenciatura em História.

Canudo muito fraco pra concursos, só desbloqueia aqueles que servem qualquer nível superior, seria mais estratégico fazer uma tecnólogo curto, mas isso é assunto pra outro post...

Serve também, claro, para os concursos de professor de História.

Os para faculdade, embora paguem muito bem, eu descarto por razões que já discorremos por aqui.

Já os de educação básica, ou seja, ens. médio e fundamental, possuem aqueles benefícios que elenquei no começo do post, inclusive são concursos de nível muitíssimo fácil para concurseiros mais experientes.  

Ora, sendo assim porque eu não dou aula então?

Simples, a verdade é que eu não tenho a minima paciência para aturar adolescentes mal educados em escolas públicas, me estressaria muito e nem sei se compensaria férias bem mais longas somadas a carga horária magra e aposentadoria precoce. 

Uma estratégia a se pensar é, caso o servidor seja ocupante de um cargo técnico ou cientifico, faça concursos para professor com horário compatível, fará uma grana extra se tiver saco para tolerar alunos. Mas há que se considerar que o IR abocanharia bem seu salário, então talvez não compense bem assim...

"Sabe, Lynn, quando comecei a ensinar, pensei que estava fazendo isso pelos motivos certos:
 Carga horária curta. Verões de folga. Sem responsabilidade" - Citação do filme "Professora sem classe"





sexta-feira, 17 de setembro de 2021

Concurso Público - Busca no Google

 Ao pesquisar sobre o assunto Concurso Público no Google Trends nos deparamos com os seguintes dados correspondentes ao últimos 12 meses:

Segundo o próprio Google, os números expostos no gráfico significam o seguinte: 

Os números representam o interesse de pesquisa relativo ao ponto mais alto no gráfico de uma determinada região em um dado período. Um valor de 100 representa o pico de popularidade de um termo. Um valor de 50 significa que o termo teve metade da popularidade. Uma pontuação de 0 significa que não havia dados suficientes sobre o termo.
Pois bem, ao observamos o gráfico, notamos que o interesse estava fraco durante a maior parte de 2020, retomou logo no começo de 2021, caiu novamente para patamares análogos de 2020 la pro meio de abril deste ano e por fim voltou  a subir.

Eu então expandi a amostragem para os últimos cinco anos e o que notamos claramente é que interesse sobre o tópico em tal período nunca esteve mais baixo como do inicio da pandemia pra cá (o gráfico demarca claramente uma queda brusca em março de 2020), embora tenhamos notado uma recuperação tímida, ainda não voltamos aos patamares pré pandemia.

Interesse pelo termo concurso público ao longo dos últimos cinco anos

No item pesquisas relacionadas - voltando a observar a amostra dos últimos 12 meses -, temos os seguintes destaques:

1- Concurso Banco do Brasil
2- Concurso do Banco do Brasil
3- Edital do banco do Brasil

Bom, embora quem use os termos de busca constantes em segundo lugar demonstre talvez maior incompreensão de como funciona o mecanismo de busca, Fato é que este concurso do BB parece ser muitíssimo visado, talvez até por ser um dos poucos abertos a nível nacional neste ano...

Em seguida temos "concurso IBGE 2021" em quarto lugar e "Inscrição do Concurso do Banco do Brasil", fazendo o BB novamente reaparecer na lista.

Em seguida temos "concursos abertos rj 2021", o interesse pelo RJ pode demonstrar como as pessoas neste Estado parecem não encontrar outras soluções de ganhar dinheiro, ainda com o governo estadual quebrado, o que deveria, pelo menos em tese, assustar um pouco os candidatos, pelo menos do âmbito da esfera estadual.


sexta-feira, 10 de setembro de 2021

Como ganhar 6k em uma cidadezinha do RJ - Dica de concurso

 Saiu o edital! 

Miguel Pereira é uma cidadezinha no RJ, que segundo estimativas do IBGE  para 2018, possuía 25 493 hab.

A cerca de 2 horas de carro do centro da capital fluminense, fica próximo de Paty do Alferes, onde ocorre a tradicional festa do tomate:


O mencionado município lançou edital no dia 08/09.

para concurseiros inexperientes, o edital parece ser fraco, e em grande parte é mesmo.

O cargo de nível médio com maior salário, por exemplo, paga R$ 1.948,01 de salário base para uma jornada de 30h semanais. A maioria dos de nível superior paga não mais que R$ 2.921,07 de salário base. A maioria, porque há uma exceção importante - além das vagas para médicos -, me refiro ao cargo de  Fiscal de Fazenda, liberado para qualquer nível superior e que paga nada menos que R$ 6.000,00 de salário base.

Há um porém. O concurso é para cadastro de reservas - sem falar que concursos no âmbito municipal de cidadezinhas costumam ser problemáticos para convocar, mesmo dentro de eventuais vagas no edital -, mas considere que isso pode até ajudar, de modo que inibirá que outros candidatos tentem a prova, você pode tentar, se não passar, ao menos já estará mais preparado para concursos da área fiscal, ou seja, na pior das hipóteses, serve ao menos como treino.

Bom, deixo a dica, boa sorte a todos e bons estudos!


sábado, 4 de setembro de 2021

A inflação cruel que corrói meu salário sem dó nem piedade e outras reclamações

 IPCA: inflação avança para 0,96% em julho e atinge 8,99% em 12 meses

Me deparei com essa manchete outro dia pela manhã, a inflação acumulada em 12 meses (07/20 a 07/21) chegou a brutais 8,99%!

Pesado, não?

O que me estranha é que estes números do IPCA nãos sejam ainda mais altos. Ora, não quero questionar a metodologia do IBGE - e sinceramente nem sei exatamente como é - mas minhas observações anedóticas tem indicado que o custo de vida subiu súbita e fortemente ao longo destes últimos meses.

O preço da alimentação particularmente pesou mais no meu bolso. Notei que os restaurantes mais próximos de minha repartição subiram em média mais de 30% em menos de 12 meses, sendo que alguns dos mais simples - e baratos - fecharam as portas, não sei se o modelo de negócios que eles seguiram se tornou insustentável ou o que.

Fato é que me vi obrigado a alterar meu estilo de vida ou daqui a pouco eu estaria trabalhando só pra pagar o almoço.

Comecei a levar quentinhas de casa para consumir no refeitório do trabalho. O que é muito ruim. Não pelo preço, este compensa, o problema é que a maioria dos meus colegas de trabalho não respeita o sagrado horário de almoço de um homem e ao me ver almoçando no refeitório pedem demandas laborais que poderiam muito bem ficar para depois.

Eles negam: ah, mas eu vou esperar você terminar de almoçar, eles dizem, tentando ser educados, mas ações tem peso maior que palavras, e o que eles fazem a seguir é irritante, ficam em pé do seu lado encarando enquanto da garfadas em um prato de arroz com angu adornado com carne barata.

Não vejo reajuste salarial há mais de 24 meses. Triênios e afins estão congelados por conta da lei 173 - mas isso é mais um problema para o meu eu do futuro.

Meu salário derrete, derrete enquanto eu durmo, enquanto caminho para o trabalho e derrete aos poucos enquanto escrevo essa linha, ele vai perdendo seu valor aos poucos e eu apenas assisto sem nada poder fazer a respeito. A inflação é muitas vezes uma doença lenta, mas certeira.

Pra completar, passei os últimos meses empenhado, trabalhando igual a um cavalo, esperando a boa vontade de receber uma gratificação que nunca veio.

Que ingenuidade a minha, no setor publico, as gratificações estão reservadas aos puxa sacos vagabundos.

O que aumenta é meu ódio, ódio contra comissionados que ganham mais do que eu, contra colegas puxa sacos que não trabalham e ganham mais do que eu, contra o dinheiro que insiste em perder valor, contra o sistema, contra adolescentes de 15 anos que se dizem liberais e dizem na internet que todo servidor público é vagabundo - existem sim servidores vagabundos, a questão é que demanda não falta, eles que não querem fazer nada. 

É no momento que o ódio me consome que eu não consigo me concentrar em mais nadas nas minhas horas livres, não consigo ler, ver um filme ou algo assim sem pensar em trabalho, sem ter raiva. Sendo franco, creio que videogames são a única fonte de entretenimento através da qual eu consigo realmente desligar, mas o preço não ajuda. 

E quando vou dormir? Após um dia exaustivo, oro a deus por forças no dia seguinte, mas em seguida não consigo dormir bem, o ódio retorna a minha mente, ando pela casa e soco a parede com raiva de todos os patifes que ganham para nada fazer, soco as paredes mas não encontro respostas. O mundo está de cabeça pra baixo, vagabundos falastrões são os premiados.

Deveria fazer este jogo? Esquecer de trabalhar e puxar saco? Não, não seria digno.

Mas há um final feliz para está serie de lamentos, eu sou concurseiro! Posso passar em um concurso melhor, transformar meus ódios em sangue nos olhos na hora de estudar e fazer uma prova.

Sim, este é o caminho.


domingo, 29 de agosto de 2021

PEC 32: substitutivo deve manter estabilidade e retirar trainee

 Segundo matéria publicada no site Congresso em Foco, relator da reforma administrativa deve manter estabilidade a todo servidor em texto substitutivo que será apresentado amanhã (30/08/2021).

 Outra boa noticia foi publicado no jornal fluminense O Dia, segundo o qual, o chamado vínculo de experiência, que de forma infame passou a ser chamado de trainee do setor público ao pretender substituir o estágio probatório e passar a ser considerado a última etapa do concurso público, deve ser retirado da PEC. O relator incluirá ainda critérios para avaliação de desempenho, o que não foi proposto pelo governo. 

    Por enquanto é só, o deserto de concursos continua e eu não tenho muito sobre o que falar aqui, mantenho a expectativa de, nos próximos meses, testemunhar uma enxurrada de concursos que ficou represada ao longo da pandemia. 


segunda-feira, 26 de julho de 2021

Concursos voltando!?

Bom, após mais de 18 meses com o mundo dos concursos praticamente parado, em decorrência da pandemia, surgindo praticamente nenhum edital, finalmente a retomada parece estar, ainda que timidamente, acontecendo.

Aqui no RJ temos atualmente três ótimas oportunidades para concurseiros em inicio de carreira: Escriturário do Banco do Brasil (cerca de 3k de salário base), Assistente administrativo da UERJ (3.7k de salário base) e diversos cargos burocráticos no IFRJ - além, é claro, de um número elevado de concursos municipais, alguns com oportunidades razoáveis, inclusive, vide o da FeSaúde de Niterói.

Se o  meu palpite estiver certo - e creio que muitos analistas da área concordam comigo -, os concursos ficaram represados por muito tempo e agora retornarão com tudo, possivelmente veremos uma concentração de concursos em uma janela de poucos meses e o que estamos vendo agora é a fase inicial desse processo, com os editais já começando a pingar.

Ter isso em  mente é elementar para traçar uma estratégia de estudos agora, para este boom de concursos em tão pouco tempo.


Tenha em conta também que, no âmbito do gov. Federal, o Decreto Federal Nº 9.739 fixa em seis meses para o órgão ou a entidade publicar o edital de abertura de inscrições para realização do certame após a autorização do Ministro de Estado da Economia, o que deve reforçar ainda mais um número mais concentrado de editais.

Aliás, esse mencionado decreto regulamenta diversas questões relacionadas a concursos públicos no âmbito federal, sugiro uma lida.

Por enquanto é só.

Aquila non capit muscas