terça-feira, 15 de maio de 2018

Por que pessoas inteligentes muitas vezes falham?

Muitas pessoas de sucesso são bastante inteligentes.

Mas... Muitas pessoas inteligentes nunca atingem o sucesso.

Por que não?

Não é o tipo de pergunta que podemos responder com um mero sim ou não, mas eu tenho algumas teorias a respeito do tópico:

Preguiça - Talvez este seja o arqui-inimigo do inteligente e o pior de tudo é que muitas vezes é um inimigo não reconhecido. De modo que pessoas inteligentes tendem a ser preguiçosas, como possuem facilidade na escola, por exemplo, não tem a possibilidade durante a adolescência/ infância de aprender a se esforçar, o que pode ser prejudicial na vida adulta. De modo que um idiota esforçado pode muitas vezes superar um inteligente preguiçoso, por exemplo, se você é inteligente mas presta um concurso sem estudar corre o risco de ser superado por pessoas com habilidades cognitivas limitadas que estudaram para o certame, principalmente e claro na parte mais conteudista da prova, o detalhe é que o inteligente pode se dar bem com bem menos tempo de estudo, mas sua preguiça o impede.

Esperando reconhecimento e respeito


Na escola, as pessoas inteligentes recebem muitos elogios pelo quão bons e espertos elas são. Na realidade, ninguém dá a mínima para suas notas. Você é pago pelo que faz e pelo valor do que produz. Se seu amigo idiota é - por exemplo - advogado formado em uniesquina, enquanto você é digamos... Professor de educação básica, então seu amigo idiota possivelmente vai ganhar mais do que você, porque o diploma e emprego dele são melhores, ainda que ele seja um idiota e você seja inteligente.

Obter uma nota boa em um teste escolar não melhora a vida de ninguém e a sociedade não te dará nada so porque você é inteligente, raramente alguém até poderá cumprimentar pela inteligência, masss, convenhamos, massagem no ego não paga as contas e se bobear é muito mais fácil ser cumprimentado por coisas fúteis como altura ou pegar mulher do que por ser inteligente.

Não percepção da própria inteligência - pessoas inteligentes são cientes de seu potencial? Do que podem alcançar aplicando sua capacidade? As vezes, mas não sempre. Vide o que eu escrevi no posto sobre o efeito Dunning Krueger.


Bom, estes são alguns pontos que consegui pensar no momento. Pessoalmente me identifico muito principalmente com o primeiro, por sorte tenho amadurecido e identificado meu erro - antes tarde do que nunca. 

Ser inteligente para mim é, além de facilidade em resolver problemas, ter também facilidade em adquirir novos conhecimentos e adquirir habilidades (bem como aplicar tais conhecimentos e habilidades) e foi mais ou menos com esta definição em mente que escrevi o texto acima.


sábado, 5 de maio de 2018

Ser Cristão


Embora a popularidade - por assim dizer - da Bíblia pareça estar em declínio no mundo ocidental considero essa obra seminal como guia para o exercício de uma vida produtiva para a sociedade e para si próprio.

Digo, ainda que você seja ateu ou agnóstico não deveria negar a importância da Bíblia como guia de comportamento ético, ainda que retirando o aspecto transcendente da coisa, por assim dizer.

Ao ler determinados trechos bíblicos, costumeiramente me pego espantado com a atemporaneidade de muitas passagens. Embora, reconheça sim que algumas passagens podem ser vistas como inadequadas nos dias de hoje.

Algumas coisas boas que retiro da Bíblia para aplicação cotidiana:


Ética no trabalho

A critica a figura do preguiçoso e a exaltação do trabalho são comuns no meu livro favorito do antigo testamento: provérbios. Deste modo, procuro sempre ser um excelente profissional em meu trabalho, sem reclamar de serviço. Isso é bom para a sociedade que ganha com meu trabalho e é bom inclusive para mim, que me sinto mais completo bem como posso acabar ganhando o reconhecimento de forma financeira - ainda que este não seja o objetivo central da coisa. Imagine que sociedade maravilhoso seria, se não houvessem preguiçosos e todos estivessem sempre disponíveis e ansiosos por ajudar o próximo. Melhor para a economia, melhor para a sociedade, melhor para o individuo.

Se alguém lhe der um tapa na cara, vire o outro lado para ele bater também

Isso me ajuda muito no dia a dia, principalmente em debates, seja na internet, seja na vida real. Quando alguém vem me repreender por qualquer motivo de forma agressiva procuro manter a tranquilidade e incentivar o diálogo produtivo, o que com certeza me ajuda muito na vida cotidiana.


Por enquanto só vou apontar estas duas questões, procurarei falar mais sobre o assunto em outras oportunidades.


Dica de filme


Para encerrar gostaria de indicar um filme muito bom relacionado a este assunto: Cruzada (2005) do genial diretor Ridley Scott. O filme narra a história de Baliam, um cavaleiro que viaja para Jerusalem no século XII. A rigidez ética do protagonista é inspiradora, para dizer o mínimo, algo bem diferente dos chamados anti heróis aparentemente tão populares nos dias de hoje. "Que homem é homem que nao vive para fazer do mundo um lugar melhor!?" Confira!


Pera... antes de terminar... nada a ver com o post em si, mas tem algo me incomodando neste poster de Cruzada. Vamos consertar isso.


Melhorou.

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Sobre o privilegio de morar perto do trabalho

Imagino que isso seja bem mais difícil de conseguir para quem mora em cidades grandes por conta do alto valor dos imóveis nas áreas onde a maior parte da força laboral está, mas em cidades de médio porte como a minha aluguéis no centro podem ser encontrados a preços aceitáveis o que me garante um micro luxo moderno que é morar perto ao trabalho.

Com uma breve caminhada de 10 minutos já chego ao prédio onde trabalho, parece bobo de minha parte valorizar tanto isso, mas alguém como eu que em certa época da vida precisou fazer um translado de ônibus diário de média de 2h (para ida e volta) sabe o valor de morar próximo ao trabalho.

Quando precisava pegar transporte público para o meu emprego anterior, posso afirmar categoricamente que a viagem casa-emprego me estressava mais do que o trabalho em si. E foi uma das razões para eu ter pedido exoneração mais cedo do que deveria e consequentemente tendo ficado alguns meses desempregado em 2017.

Meu velho arqui inimigo, o transporte público
Além do tempo que perdia, havia também a questão do inferno que é frequentar transporte público no Brasil: Veículos lotados e desconfortáveis.

quinta-feira, 12 de abril de 2018

Utilização do meio como estratégia de facilitação ao acesso de sexo

 Nada nos impede, diz [Richard] Schechner (2002: 24, 32, 110) de considerar qualquer ação humana, ou produto dessa ação, a partir do enquadramento, ou frame, da performance. - John Cowart Dawsey. Clique neste link para conhecer o artigo completo, uma mistura de besteirol acadêmico com um pouco de sensatez.

Por certo o meio social onde você realiza qualquer atividade possui influência sobre o modo como você agirá, digo, você estando em seu ambiente de trabalho não atua exatamente da mesma forma que faria caso estivesse em casa com a família ou em um barzinho com amigos, certo?

As vezes o meio social nos coloca para baixo.

Se em seu ambiente de trabalho por exemplo, digamos em dada repartição federal, você notar que embora ganhe cerca de, digamos, R$9 mil, possui o menor salário dentre seus pares, se este for o único meio social a que você tiver acesso pode erroneamente deduzir que você é um fracasso na vida, quando esta renda na verdade te coloca num patamar financeiro bem acima que  a grande maioria dos brasileiros.

Deste modo, uma visa social ativa e frequentar diferentes locais é crucial para se ter uma perceptiva mais completa sobre a sua própria vida.

Está atuação conforme o meio social não deve ser confundida com agir de forma falsa em certos meios, entretanto apresentar diferentes versões de si mesmo de acordo com cada situação.

Dito isso...

Tirando proveito do meio social

Tirando proveito para o quê? Eu tenho algo em mente que discuti recentemente com outros blogueiros em comentários perdidos aqui em "Carreira de Concurseiro".

Tirando proveito especificamente para conhecer e possivelmente angariar sexo gratuito e heterossexual. Isso mesmo. O individuo precisa reconhecer a si mesmo, seus pontos negativos e positivos e saber em que cenário ele pode se destacar dos demais concorrentes do gênero masculino e em qual cenário será tratado de forma indiferente - apenas como um mais um - ou mesmo desdenhado. 
Gostosa aleatória
Fazer um cursinho qualquer de algo que você já tenha ótimo domínio, como inglês ou informática por exemplo, é um ótimo local para conhecer ótimos alvos e você de cara já terá dois trunfos: Ganhar melhor que todo mundo no local e ter maior domínio da matéria. A mensalidade deste tipo de curso costuma ser baixa e o investimento vale a pena, digo, é bem melhor do que ficar contratando GP's.

Outra opção é se matricular em uma faculdade pública que atenda aos seguintes requisitos: 
  1. Seja pouco visada, que foge ao interesse de patricinhas e playboys;
  2.  Nível de dificuldade fácil;
  3.  Onde há predominância de alunas mulheres. 

Neste caso o investimento financeiro será nulo - desconsiderando-se possíveis gastos com o translado ao local.  Existem alguns cursos que atendem a estes três pré requisitos, mas não os citarem aqui para não ofender desnecessariamente eventuais leitores. 
Sim, eu utilizo frames de filmes pornô para ilustrar alguns posts.
Eu estou ansioso para por essa estratégia em prática já na metade do ano e contar como me sairei para vocês leitores. Tenho algumas faculdades em mente, os processos seletivos são medianamente disputados, mas eu que sou concurseiro posso tirar de letra. Infelizmente muitas faculdades não fazem mais vestibular próprio e apenas utilizam a nota do ENEM para seleção, desta forma meu plano deve acabar ficando para o ano que vem, espero manter a disposição até la.


Continua?

quinta-feira, 5 de abril de 2018

Jogando com suas cartas


Uns dias atrás ouvi um conhecido meu dizer algo que me deixou um tanto pensativo - e levemente irritado até. Como por razões pessoais vocês sabem que não exponho minha identidade por aqui, não posso informar o nome do protagonista de meu post, então o identificarei por dois adjetivos que resumem bem a personalidade e o estilo de vida do mesmo: vamos com "vagabundo cachaceiro". Não me levem a mal os cachaceiros, eu mesmo me considero muito bom de copo - com toda a modéstia a parte. De modo que o segundo adjetivo pode nem sempre ser necessariamente uma critica, exceto quando acompanhado do primeiro adjetivo... Digo, eu não me importo de sair pra beber em alta frequência, desde que não prejudique minha vida acadêmica, profissional, familiar etc. Se bem que nos últimos meses cortei bem a birita... 

... mas, isso é assunto pra outro post, olha só, me deem um teclado na mão e eu começo a divagar, e tem blogueiro com preguiça de manter blog, estes posts de causos pessoais são muito fáceis de se escrever, difícil é escrever posts que precisam de pesquisa... opa, divaguei de novo... vamos ao que me levou a escrever hoje.

O que acontece é que 

um terceiro amigo meu começou uma faculdade de Direito recentemente e tem se mostrado animado com o curso, tanto é que em meio a uma mesa de bar tentou persuadir o vagabundo cachaceiro a entrar no curso de direito. O problema, prontamente apontado pelo Vagabundo Cachaceiro é que ele não tem dinheiro e nem ninguém para pagar pela cara faculdade, bem como não consegue passar num vestibular para faculdades públicas de direito.

Pensando sobre este ocorrido, creio que uma solução para o Vagabundo cachaceiro sair da situação em que se encontra seria entrar em uma faculdade mais fácil de se passar e, posteriormente, com o novo trunfo conquistado conseguir um emprego melhor e assim ter condições de entrar na sua sonhada faculdade de direito. 

Isso é claro é só uma, dentre muitas soluções que ele poderia criar, podem não ser as soluções ideias, mas são as cartas que ele tem para jogar agora enquanto não consegue cartas melhores. Uma faculdade fácil de entrar iria conceder ao sr. vagabundo cachaceiro uma nova carta e a possibilidade de conquistar outras. Na vida deve-se jogar de modo estratégico, sempre atuando com as cartas que se tem em mãos nos momento. Alguns já nascem com os ases, mas os desperdiçam, outros os conquistam no meio do caminho. 


O que não pode é estagnar e achar que você tem que morrer com as cartas que começou, porque isso aqui não é póquer, isso é a vida real e o jogo de cartas a que me refiro é só uma metáfora.

🃏🃁🃋🃍🂽🂡




quarta-feira, 28 de março de 2018

Enem como treino para concursos

A importância do ENEM

Quando cursei o ensino médio, ainda nos anos 2000, o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) já existia, porém sem toda a importância que adquiriu nos ultimo anos quando o formato da prova mudou - expandindo o número de questões e matérias - e o exame passou a ser utilizado como substituto do vestibular em diversas instituições de ens. superior Brasil afora.

De modo que, nos dias de hoje, se você está candidatar para uma faculdade, quase  que certamente precisará enviar sua nota do ENEM. Fazer o ENEM significa, portanto, manter um número considerável de opções abertas que de outra forma poderiam ser fechadas para você. Isso sem falar que algumas bolsas são baseadas na pontuação obtida no ENEM.

O interessante é que no antigo formato a interpretação dominava a prova frente ao conteúdo. O que ao meu ver faria mais sentindo do que fazer os discentes estudarem disciplinas pelas quais não possuem interesse em se aprofundar e portanto nunca mais terão contato ao longo de suas carreiras acadêmicas e profissional. Se minha memória não me engana, naquela época uma boa interpretação de textos já era suficiente para se sair bem na prova que tinha "apenas" 63 questões - frente as 180 das edições recentes. De longe a prova não era tão conteudista e definitivamente era mais fácil e menos cansativa do que é hoje.

ENEM como treino para concursos

Bom, não é novidade - conforme já relatei - que os editais para concursos públicos andam bastante escassos onde moro, desta forma prestar o ENEM seria um ótimo treino para não perder a manha. Como é uma prova extensa, posso treinar minha resistência, embora a maior parte do conteúdo seja muito divergente daquilo que tenho contato em provas de certames públicos.

Dessa forma cogito prestar o exame sem estudar, apenas para brincar um pouco e um tanto por curiosidade para conhecer a sensação de prestar o exame neste novo formato.

Tá certo que posso até tentar reproduzir realizar a prova em casa, mas não é exatamente a mesma coisa que prestar o exame oficialmente.

quinta-feira, 22 de março de 2018

Público vs Privado: Serviço de entregas de correspondências

Não deixe de conferir o primeiro post da série: Público vs Privado: NASA vs Spacex.

Correspondências à brasileira



Como é bem sabido de todos, no Brasil, uma empresa Pública, a Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos detém o monopólio pelo serviço de entregas de correspondências. Essa exclusividade é prevista na própria CF, a qual elenca ser competência da União manter o serviço postal e o correio aéreo nacional.

Desnecessário dizer que o que temos em mãos é uma péssima situação, o serviço dos correios é caro e de péssima qualidade, sem falar dos prejuízos bilionários que a empresa vem dado aos cofres públicos nos últimos anos.

Há quem diga que a solução seria tirar a exclusividade deste serviço essencial dos Correios, torço para que isso não aconteça, afinal se ocorrer a empresa pública possivelmente iria falir e todo mundo sairia perdendo. O certo na verdade deveria ser privatizar e posteriormente abrir o mercado.

Nos EUA

O logo da FedEx, empresa privada embasada nos EUA,
se não fosse o esquema de cores, até o logo seria superior.
Como não tenho parâmetros de concorrência publico vs privado neste setor no caso tupiniquim, gostaria de apresentar a situação dos EUA, onde uma empresa pública compete com algumas outras privadas.

Este vídeo do ótimo canal PragerU é esclarecedor sobre o assunto (é possível ativar as legendas em português):


Aqui vai um trecho transcrito do vídeo:
O setor privado é constituído por empresas ou empresas possuídas por pessoas. O setor privado inclui shoppings, mercearias e seu restaurante local. Para fazer um lucro no setor privado, as empresas devem trabalhar pelo nosso dinheiro, oferecendo-nos produtos e serviços que queremos ou precisamos. Quando as empresas têm de competir pelos mesmos dólares, os preços vão para baixo, porque ninguém quer pagar o dobro por sapatos em uma loja se você pode obter o mesmo par mais barato em outro lugar.

Por outro lado, o setor público não é apoiado por lucros. Ele não tem que competir por nossos dólares. Em vez disso, o setor público usa nossos dólares de impostos para financiar seus serviços. Portanto, pagamos por esses programas, não importa o quanto ou quão pouco usarmo-los. O governo decide como nossos dólares de imposto devem ser gastos no setor público.
Isso faz sentido para algumas coisas. Por exemplo, você provavelmente não iria querer bombeiros ou policiais competindo uns com os outros pela sua atenção. Em outros casos, porém, isso significa que as coisas custam mais ou o serviço é pior. O Correio dos EUA tem US $ 100 bilhões em dívidas e é regularmente salvado com dinheiro dos contribuintes.
O US Post Office apresentado no vídeo é um exemplo de uma empresa do setor público. Como você pode ver, em um mundo cada vez mais dependente de e-mails, a agência dos correios está atrasada porque oferece entrega de correio tradicional seis dias por semana - embora muito do e-mail que você recebe seja provavelmente lixo eletrônico. O Post Office também tem mais de 100 bilhões de dólares em dívidas e passivos não financiados, desnecessário dizer que esse negócio está bem no vermelho.

Em contraste, a FedEx, uma empresa do setor privado, obteve um lucro de mais de 8 bilhões nos últimos 5 anos, a FedEx sabe que precisa continuar inovando para competir com outras empresas.

O caso dos EUA ilustra bem como empresas privadas se saem melhor em meio ao livre mercado frente as empresas publicas. A quem discorda deste tipo de coisa e a razão para que isto ocorre, sempre recomendo a leitura de Adam Smith. A busca individual e mesmo - digamos - egoísta do lucro é que o que impulsiona a sociedade para tempos cada vez melhores onde todos saem ganhandoPara obter lucro no setor privado, as empresas precisam ganhar nosso dinheiro oferecendo-nos produtos ou serviços de que gostamos. Uma vez que outras empresas competem por esse mesmo lucro, esse processo reduz os preços porque ninguém quer pagar, digamos, 100 temers por sapatos em uma loja, se você puder obter o mesmo par em outro lugar, por 50 temers.

Hoje as empresas privadas do ramo detêm a maior fatia do bolo nos EUA, nem sempre foi assim, começaram engatinhando encontrando brechas em uma legislação que concedia quase que exclusivamente ao governo a prestação deste serviço. Como essa interessante reportagem do NY times datada de 1989 (em inglês) informa.

_________________________________________________________________________________

Termino por aqui, vamos ver se animo e faço um post sobre os bancos públicos brasileiros  - a sociedade de economia mista Banco do Brasil e a empresa pública Caixa Econômica Federal - em contraste aos privados.

As melhores e as piores Faculdades para concursos públicos - Post Mutável

Estava lendo uma matéria de "Gazeta do Povo", quiçá o melhor site de noticias brasileiro, quando achei que seria interessante discorrer sobre este tópico.

De modo que vou elencar aqui, em minha muito humilde opinião, as melhores, bem como as piores faculdades para quem deseja adentrar no setor público em cargos que exijam nível superior.

Detalhe, claro, que vez ou outra você verificará editais que exigem meramente o nível superior em qualquer área, seja ele licenciatura, tecnólogo ou bacharel, então mesmo a graduação com menos opções ainda poderá proporcionar algo interessante para você se inscrever. 

Claro que cada caso deve ser isolado individualmente e fatores como aptidão também não podem ser consideradas aqui, vamos começar!

Outro detalhe é que vou editar este post aos poucos, afinal será uma lista muito extensa, a qual eu não tenho condições de criar em uma tacada só, portanto prefiro deixar o post em aberto do que deixá-lo largado nos rascunhos aqui de "Carreira de Concurseiro". Dessa forma novos cursos irão sendo acrescentados aos poucos, em qualquer ponto da lista.

Vamos começar, os cursos estão em ordem decrescente, do melhor para o pior.


Bacharelado em Direito

Já falei muito brevemente sobre este tema em uma das primeiras postagens aqui de "Carreira de concurseiro", foi em "Direito: o melhor diploma que um concurseiro pode ter", ocasião em que argumentei rapidamente porque considero Direito o melhor curso superior para quem pretende conquistar bons cargos no setor público, e creio que poucos discordarão de mim neste ponto...

Engenharia Civil

Engenharia Elétrica

Engenharia Mecânica

Ciências Contábeis

Medicina

Alguns dos salários para prefeituras do interior não costumam ser grande coisa, mas os concursos são numerosos e os de salário relativamente baixos para um médico costumam ser muito pouco disputados. Além é claro da possibilidade de acumular dois cargos na área de saúde com profissões regulamentadas, prevista na CF.


Farmácia

Nutrição

Penso que devo colocar cursos da área de saúde em boas colocações, devido a possibilidade de acumulação de cargos prevista na CF.

Enfermagem

Odontologia

Comunicação social

Administração de empresas

Psicologia

Licenciatura em Letras ou Matemática

Desconsiderando-se o fator salário, concursos para professores nestas áreas são os mais amplos.

Licenciatura em Biologia, Química ou Física

Licenciatura em História

Pode fazer todos os concursos para nível superior em História, bem como os de docência na educação básica.


Bacharelado em Geografia

Licenciatura em Educação fisica

Bacharelado em História



Licenciatura em Geografia

Tenho que colocar Licenciatura em Geografia nesta posição pela razão de que talvez ela seja uma das licenciaturas de menor procura em concursos, isso porque a lei que regulamenta a profissão de geografo não possibilita aos licenciados - exceto alguns casos específicos previstos no art. 2º da referida lei - o exercício da profissão, o que evidentemente restringe muito o leque de opções para os licenciados, tendo em vista que não podem prestar concursos para geógrafos, ficam restritos mesmo a sala de aula.


Tecnólogo em Gestão Ambiental

Tecnólogo em Radiologia

Sobre este aqui, um comentarista anônimo escreveu: "Oportunidades de trabalho quase inexistentes na iniciativa privada, e quando há concursos (quase inexistentes também), só há uma vaga para centenas de formados". Muita concorrência e poucas vagas é a formula para o desastre.

Tecnologia Oftálmica

Turismo ou Hotelaria (Bacharelado, tecnólogo ou licenciatura)

Concurso raríssimos, o detalhe é que mesmo na inciativa privada é muito difícil encontrar empregos, a maioria com salários baixíssimos, sem falar que a lei que regulamenta a profissão de turismólogo, acertadamente não exige nível superior para tal, conforme eu já apontei aqui. A titulo de curiosidade apenas, comparei o número de buscas que o Google retorna quando digito palavras chaves associando determinada profissão com a palavra concurso, o termo Turismólogo foi o que retornou os números mais ridículos, frente aos milhões retornados quando busco - por exemplo - "enfermeiro concurso" (sem aspas na hora de pesquisar, claro), o qual me retorna 654.000 resultados resultados, frente a meros 5.930 resultados ao trocar enfermeiro por turismólogo. 

Tecnologia em Estética e Cosmética

Não me leve a mal se você é da área e está lendo isso, parece ser um curso interessante e há demanda por este tipo de profissional no setor privado, mas eu nunca vi sequer um edital concurso que pedisse especificamente esta graduação.

quarta-feira, 21 de março de 2018

Simulado - Lei Orgânica de São José dos Campos para o Concurso da Câmara Municipal


Simulado - Lei Orgânica Municipal de São José dos Campos para o Concurso da Câmara Municipal

Lembrando que nem todos os artigos da LOM estão previstos no edital, o qual se restringe aos seguintes:

Lei Orgânica Municipal de São José dos Campos. Título I – Da Organização Municipal (artigos 1º a 24); Título II – Capítulos I e II (artigos 25 a 32); Capítulo III (artigos 45 a 50); Capítulo IV (artigos 51 a 53); Capítulo V (artigo 54).

Questões

1- Na forma da Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, constituem objetivos fundamentais do Município de São José dos Campos, exceto:

a- Construir uma sociedade livre, justa e solidária.
b- Promover o bem comum de todos os munícipes.
c- Reduzir a pobreza, o analfabetismo e a marginalização.
d- Garantir a todos os cidadãos dignas condições de moradia e acesso fácil aos locais de trabalho e de serviços, através de transporte coletivo eficiente, cômodo e de baixo custo.

2- Na forma da Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, ao Município é vedado, exceto:

a- Promover, sob qualquer título ou forma, propaganda pessoal dos governantes ou manipulação da opinião pública, como forma de fraudar a livre competição pelo poder.
b- estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o exercício ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ainda que ressalvada a colaboração de interesse público, na forma e nos limites da legislação federal, notadamente nos setores educacional, assistencial e hospitalar.
c- recusar fé aos documentos públicos.
d-  Criar distinções entre brasileiros ou preferências em favor de uma pessoa de direito  público interno em detrimento de outra.

3- Considerando o disposto na Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, é correto afirmar que é uma forma de manifestação da soberania popular:

a- leis aprovadas pelos representantes do povo no poder legislativo.
b- decreto do prefeito que determina a construção de casas populares.
c- Iniciativa legislativa popular.
d- decisões do poder judiciário.

4- Considerando o disposto na Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, imediatamente depois da posse, os Vereadores reunir-se-ão e, havendo maioria absoluta dos membros da Câmara Municipal elegerão os componentes da Mesa. A referida reunião será presidida pelo:

a- Vereador mais votado dentre os presentes.
b- Vereador mais idoso dentre os presentes.
c- Vereador com o maior número de legislaturas dentre os presentes.
d- Vereador mais jovem, dentre os presentes.

5- Conforme prescreve a Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, em relação as sessões da Câmara Municipal é correto afirmar:

a- A Câmara Municipal reunir-se-á, anualmente, e com necessidade de convocação, em sua sede, de 1º de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 15 de dezembro.
b- Em hipótese alguma a Mesa da Câmara Municipal incentivará a presença de munícipes às sessões.
c- As sessões só poderão ser abertas com a presença de, no mínimo, todos os membros da Mesa da Câmara Municipal.
d- Todas as sessões da Câmara Municipal serão públicas.


Gabarito

1- Na forma da Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, constituem objetivos fundamentais do Município de São José dos Campos, exceto:

a- Construir uma sociedade livre, justa e solidária.
b- Promover o bem comum de todos os munícipes.
c- Reduzir a pobreza, o analfabetismo e a marginalização.
d- Garantir a todos os cidadãos dignas condições de moradia e acesso fácil aos locais de trabalho e de serviços, através de transporte coletivo eficiente, cômodo e de baixo custo.

2- Na forma da Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, ao Município é vedado, exceto:

a- Promover, sob qualquer título ou forma, propaganda pessoal dos governantes ou manipulação da opinião pública, como forma de fraudar a livre competição pelo poder.
b- estabelecer cultos religiosos ou igrejas, subvencioná-los, embaraçar-lhes o exercício ou manter com eles ou seus representantes relações de dependência ou aliança, ainda que ressalvada a colaboração de interesse público, na forma e nos limites da legislação federal, notadamente nos setores educacional, assistencial e hospitalar.
c- recusar fé aos documentos públicos.
d-  Criar distinções entre brasileiros ou preferências em favor de uma pessoa de direito  público interno em detrimento de outra.

3- Considerando o disposto na Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, é correto afirmar que é uma forma de manifestação da soberania popular:

a- leis aprovadas pelos representantes do povo no poder legislativo.
b- decreto do prefeito que determina a construção de casas populares.
c- Iniciativa legislativa popular.
d- decisões do poder judiciário.

4- Considerando o disposto na Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, imediatamente depois da posse, os Vereadores reunir-se-ão e, havendo maioria absoluta dos membros da Câmara Municipal elegerão os componentes da Mesa. A referida reunião será presidida pelo:

a- Vereador mais votado dentre os presentes.
b- Vereador mais idoso dentre os presentes.
c- Vereador com o maior número de legislaturas dentre os presentes.
d- Vereador mais jovem, dentre os presentes.

5- Conforme prescreve a Lei Orgânica do Município de São José dos Campos, em relação as sessões da Câmara Municipal é correto afirmar:

a- A Câmara Municipal reunir-se-á, anualmente, e com necessidade de convocação, em sua sede, de 1º de fevereiro a 30 de junho e de 1º de agosto a 15 de dezembro.
b- Em hipótese alguma a Mesa da Câmara Municipal incentivará a presença de munícipes às sessões.
c- As sessões só poderão ser abertas com a presença de, no mínimo, todos os membros da Mesa da Câmara Municipal.
d- Todas as sessões da Câmara Municipal serão públicas.

segunda-feira, 19 de março de 2018

4 Pequenas dicas para o sucesso financeiro e pessoal

What would your life be like if you made use of all the potential that you were offered? - Jordan B. Peterson
Algumas dicas rápidas que posso passar para você que busca arduamente e insacavelmente o sucesso na vida. Por que 4 dicas? Porque 4 é um número simbólico... Ora, porque eu só pensei em 4 após um longo dia de trabalho.

1- Faça coisas diversas

Sempre tente coisas diferentes, você pode ser muito bom em algo, porém muito ruim em outra coisa, entretanto somente descobrirá no que você é bom ou ruim se tentar. As coisas a que me refiro - desculpem-me por utilizar a palavra mais genérica em língua portuguesa - dizem respeito aos mais diversos caminhos possíveis de se traçar em busca do sucesso financeiro. Pode ser desde prestar concursos públicos a tentar empreender ou investir.

Experimentando coisas diversas você poderá descobrir o que definitivamente pode servir para você alcançar o sucesso, bem como o que deve deixar pra la. 

Quando iniciei o "Carreira de Concurseiro", por exemplo, um dos meus objetivos era ganhar dinheiro com propaganda como Adsense, no fim das contas descobri que isso é algo muito mais difícil do que pensei, mas pelo menos escrever aqui virou um hobby, bem como um lugar para aprender coisas novas, isso porque frequentemente alguém comenta algo que me é útil de alguma forma.

2- Seja eficiente e abandone atividades inúteis


Estude e trabalhe arduamente, não perca tempo com bobagens como tinder e tópicos inúteis na internet, frequentar boates para ouvir música de péssima qualidade  ou mesmo saindo com amigos que não possuem objetivos e estão estagnados na vida, estes amigos não te acrescentarão em nada.

Uma coisa que sempre me deixa put* pra kct é constatar quantos amigos meus - sejam eles homens ou mulheres - perdem tempo discutindo e/ou lendo sobre (LENDO SOBRE!) relacionamentos amorosos, perdendo tempo precioso que poderia ser utilizado com coisas mais uteis como ganhar dinheiro, se exercitar ou fazer absolutamente qualquer outra coisa produtiva. Se preocupar tanto com namoradinhos(as) é coisa de adolescentes, não de adultos, pelo amor de D*us! Não delegue a sua felicidade a terceiros.

Se você não consegue abandonar estas atividades inúteis, pelo menos limite a quantia de tempo que dedica a elas. Por exemplo, se você frequenta boates vagabundas toda a semana, limite-se a uma visita quinzenal. Seus gastos diminuirão e sua energia aumentará proporcionalmente.

3- Seja rápido no trabalho!

Seja rápido, ainda que você tenha que sacrificar a perfeição, ser ágil lhe permitirá ter mais tempo para descansar ou mesmo produzir mais se for o caso.

4- Economize dinheiro

Essa é bem básica. Um colchão de emergência financeiro é essencial para qualquer adulto, é o que separa homens de meninos, não viva de contracheque em contracheque, tenha sempre uma reserva financeira construída através da economia de PELO MENOS 10% de sua renda e você estará preparado para qualquer imprevisto e períodos de vacas magras.

Economizar dinheiro é muito mais fácil do que parece, mas não é uma atividade para idiotas, exemplo: o homem esperto procurará hambúrgueres baratos e satisfatórios em um trailer qualquer - desde que limpo, claro - enquanto o idiota vai numa daquelas merdas de  food trucks inúteis com o preço mega inflado.


Rumo ao TRT/ RJ - Parte 2: Saiu o edital

Saiu o edital.

Estou um pouco desanimado com este concurso, mas o farei mesmo assim, ainda que não estudando muito, mas preciso fazê-lo nem que seja para treinar um pouco, afinal, como eu falei da ultima vez os concursos estão bem escassos e não ta dando pra ficar escolhendo.



Dois cargos me interessam, como as provas deles ocorrerão em turnos diferentes, farei os dois gastando para isso a bagatela de 160 Temers. Tá, é um dinheiro jogado fora, mas estou tranquilo com um aporte pequeno no banco - costumo economizar pelo menos 1k por mês. A má noticia é que terei que ir a cidade do RJ realizar a prova, o que me gerará mais um pequeno gasto, fora que eu odeio ir ao Rio.

A organizadora é a tal AOCP, uma banca relativamente desconhecida, ainda tenho que fazer questões assinadas por ela para conhecer o estilo da banca.



Existem muitas matéria previstas no edital que eu nunca vi, o que pode ser um problema para o pouco tempo hábil que tenho disponível. 

Os conhecimentos comuns para os dois cargos que prestarei são os seguintes:

Língua Portuguesa: Compreensão e interpretação de texto. Tipologia e gêneros textuais. Correspondência oficial (conforme Manual de Redação da Presidência da República): aspectos gerais da redação oficial; finalidade dos expedientes oficiais; adequação da linguagem ao tipo de documento; adequação do formato do texto ao gênero. Figuras de linguagem. Significação de palavras e expressões. Relações de sinonímia e de antonímia. Ortografia. Acentuação gráfica. Uso da crase. Morfologia: classes de palavras variáveis e invariáveis e seus empregos no texto. Locuções verbais (perífrases verbais). Funções do “que” e do “se”. Elementos de comunicação e funções da linguagem. Domínio dos mecanismos de coesão textual: emprego de elementos de referenciação, substituição e repetição, de conectores e de outros elementos de sequenciação textual; emprego de tempos e modos verbais. Domínio dos mecanismos de coerência textual. Reescrita de frases e parágrafos do texto: significação das palavras; substituição de palavras ou de trechos de texto; reorganização da estrutura de orações e de períodos do texto; reescrita de textos de diferentes gêneros e níveis de formalidade. Sintaxe: relações sintático-semânticas estabelecidas na oração e entre orações, períodos ou parágrafos (período simples e período composto por coordenação e subordinação). Concordância verbal e nominal. Regência verbal e nominal. Colocação pronominal. Emprego dos sinais de pontuação e sua função no texto. Função textual dos vocábulos. Variação linguística. 

Legislação: Código de Ética do TRT – 1ª Região – RJ (conforme Anexo da Resolução Administrativa 35/2013). Regimento Interno Consolidado do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região. 

Noções Sobre Direitos das Pessoas com Deficiência: Resolução 230/2016 – Conselho Nacional de Justiça – Orienta a adequação das atividades dos Órgãos do Poder Judiciário e de seus serviços auxiliares às determinações exaradas pela Convenção Internacional sobre os direitos das pessoas com deficiência. Inclusão, direitos e garantias legais das pessoas com deficiência (Lei nº 13.146/2015; Lei nº 11.126/2005). Normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida (Lei nº 10.098/2000 e Decreto 5.296/2004). Prioridade de atendimento às pessoas portadoras de deficiência (Lei nº 10.048/2000 e Decreto 5.296/2004). Normas de apoio às pessoas portadoras de deficiência e sua integração social (Lei nº 7.853/1989 e Decreto 3.298/1999). 

Noções de Informática: Informática: Conceitos e fundamentos básicos. Conhecimento e utilização dos principais softwares utilitários (compactadores de arquivos, chat, clientes de e-mails, reprodutores de vídeo, visualizadores de imagem, antivírus). Identificação e manipulação de arquivos. Backup de arquivos. Conceitos básicos de Hardware (Placa mãe, memórias, processadores (CPU) e disco de armazenamento HDs, CDs e DVDs). Periféricos de computadores. Ambientes operacionais: utilização dos sistemas operacionais Windows XP Profissional e Windows 7. Utilização dos editores de texto (Microsoft Word) Utilização dos editores de planilhas (Microsoft Excel). Utilização do Microsoft PowerPoint. Utilização e configuração de e-mail no Microsoft Outlook. Conceitos de tecnologias relacionadas à Internet e Intranet, busca e pesquisa na Web, mecanismos de busca na Web. Navegadores de internet: Internet Explorer, Mozilla Firefox, Google Chrome. Segurança na internet; vírus de computadores; Spyware; Malware; Phishing. Transferência de arquivos pela internet.

Na parte especifica do primeiro dos cargos, temos o seguinte:

Conhecimentos Específicos: Noções de Direito Constitucional: Constituição: dos princípios fundamentais. Dos direitos e garantias fundamentais: dos direitos e deveres individuais e coletivos; dos direitos sociais; da nacionalidade; dos direitos políticos; dos partidos políticos. Da organização político-administrativa: das competências da União, Estados e Municípios. Da Administração Pública: disposições gerais; dos servidores públicos. Do Poder Executivo: das atribuições e responsabilidades do presidente da república. Do Poder Legislativo: da fiscalização contábil, financeira e orçamentária. Do Poder Judiciário: disposições gerais; do Supremo Tribunal Federal; do Conselho Nacional de Justiça: Organização e Competência; do Superior Tribunal de Justiça; dos Tribunais Regionais Federais e dos Juízes Federais; do Conselho Superior da Justiça do Trabalho: Organização e Competência; Do Tribunal Superior do Trabalho, Dos Tribunais Regionais do Trabalho e dos Juízes do Trabalho. Das funções essenciais à Justiça: do Ministério Público; da Advocacia Pública; da Advocacia e da Defensoria Pública. Noções de Direito Administrativo: Princípios básicos da Administração Pública. Administração direta e indireta. Órgãos públicos. Agentes Públicos. Ato administrativo: requisitos, atributos, classificação, espécies, revogação, invalidação e convalidação do ato administrativo. Poderes e deveres dos administradores públicos: uso e abuso do poder, poderes vinculado, discricionário, hierárquico, disciplinar e regulamentar, poder de polícia, deveres dos administradores públicos. Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais: Lei nº 8.112/90 com alterações posteriores: Provimento. Vacância. Direitos e Vantagens. Dos deveres. Das proibições. Da acumulação. Das responsabilidades. Das penalidades. Do processo administrativo disciplinar e sua revisão. Licitação e contratos administrativos: Lei nº 8.666/93 e alterações posteriores: Dos princípios. Das modalidades. Dos contratos. Da execução. Da inexecução e da rescisão. Das sanções. Lei nº 10.520/02: Do pregão. Do processo administrativo (Lei n° 9.784/99). Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429/92). Noções de Direito do Trabalho: Dos princípios e fontes do Direito do Trabalho. Hierarquia das fontes. Dos direitos constitucionais dos trabalhadores (art. 7º da CF/88) e alterações. Da relação de trabalho e da relação de emprego: características e diferenciação. Dos sujeitos do contrato de trabalho stricto sensu: do empregado e do empregador: conceito e caracterização. Do grupo econômico e suas implicações no contrato de trabalho; da sucessão de empregadores; da responsabilidade solidária. Terceirização e flexibilização. Do contrato individual de trabalho: conceito, classificação e características. Da alteração do contrato de trabalho: princípio informador; alteração unilateral e bilateral; o jus variandi. Da suspensão e interrupção do contrato de trabalho: caracterização e distinção; hipóteses de suspensão e de interrupção do contrato de trabalho. Hipóteses de rescisão do contrato de trabalho. Do aviso prévio: prazo e efeitos no contrato de trabalho. Da estabilidade e garantias provisórias do emprego. Da duração do trabalho; da jornada de trabalho; dos períodos de descanso; do intervalo para repouso e alimentação; do descanso semanal remunerado; do trabalho noturno e do trabalho extraordinário; compensação de horas e banco de horas. Do salário-mínimo; irredutibilidade e garantia. Das férias: do direito a férias e da sua duração; período concessivo e período aquisitivo de férias; da remuneração e do abono de férias; férias proporcionais. Do salário e da remuneração: conceito e distinções; composição do salário; modalidades de salário; formas e meios de pagamento do salário; adicionais salariais; 13º salário; das parcelas indenizatórias. Da prescrição e decadência: conceito, características, distinção e prazos. FGTS. Da segurança e medicina no trabalho: das atividades perigosas ou insalubres. Da proteção ao trabalho do menor. Estatuto da Criança e do Adolescente. Da proteção ao trabalho da mulher; da estabilidade da gestante; da licençamaternidade. Do direito coletivo do trabalho: organização sindical. Liberdade sindical (Convenção 87 da OIT); conceito de categoria e categoria diferenciada; das convenções e acordos coletivos de trabalho. Das comissões de Conciliação Prévia. Da representação dos empregados. Da renúncia e transação. Noções de Direito Processual de Trabalho: Fontes de Direito Processual do Trabalho. Da Justiça do Trabalho: estrutura, organização e competência (EC 45/2004). Das Varas do Trabalho e dos Tribunais Regionais do Trabalho: jurisdição e competência. Do Tribunal Superior do Trabalho: competência e composição. Dos serviços auxiliares da Justiça do Trabalho: das secretarias das Varas do Trabalho; dos distribuidores; dos oficiais de justiça avaliadores. Do Ministério Público do Trabalho: organização e função do processo judiciário do trabalho: princípios específicos do processo do trabalho. Aplicação subsidiária e supletiva do CPC ao processo do trabalho. Audiência trabalhista: da instrução e julgamento; provas testemunhais, documentais e periciais. Do procedimento ordinário e procedimento sumaríssimo. Dos recursos no processo do trabalho: espécies e prazos. Execução: iniciativa da execução; execução provisória; execução contra a fazenda pública; execução contra a massa falida. Citação; depósito da condenação e da nomeação de bens; mandado e penhora; bens penhoráveis e impenhoráveis. Embargos à execução; impugnação à sentença; embargos de terceiro. Praça e leilão; arrematação; remição; custas na execução. Do Processo Judicial Eletrônico: peculiaridades, características e prazos; normas aplicáveis ao processo judicial eletrônico. Súmulas da Jurisprudência uniformizada do Tribunal Superior do Trabalho sobre Direito Processual do Trabalho. 

Eu sei que parece loucura, mas considerando pouco tempo hábil de que disponho, minha estratégia, caso eu anime, será deixar Constitucional e Administrativo de lado para poder focar nas matérias que nunca vi e, portanto, tenho conhecimento nulo.

Já o cargo de Analista prevê o seguinte:

Conhecimentos Específicos: Noções de Direito Constitucional: Constituição: dos princípios fundamentais. Dos direitos e garantias fundamentais: dos direitos e deveres individuais e coletivos; dos direitos sociais; da nacionalidade; dos direitos políticos; dos partidos políticos. Da organização político-administrativa: das competências da União, Estados e Municípios. Da Administração Pública: disposições gerais; dos servidores públicos. Do Poder Executivo: das atribuições e responsabilidades do presidente da república. Do Poder Legislativo: da fiscalização contábil, financeira e orçamentária. Do Poder Judiciário: disposições gerais; do Supremo Tribunal Federal; do Conselho Nacional de Justiça: Organização e Competência; do Superior Tribunal de Justiça; dos Tribunais Regionais Federais e dos Juízes Federais; do Conselho Superior da Justiça do Trabalho: Organização e Competência; Do Tribunal Superior do Trabalho, Dos Tribunais Regionais do Trabalho e dos Juízes do Trabalho. Das funções essenciais à Justiça: do Ministério Público; da Advocacia Pública; da Advocacia e da Defensoria Pública. Noções de Direito Administrativo: Princípios básicos da Administração Pública. Administração direta e indireta. Órgãos públicos. Agentes Públicos. Ato administrativo: requisitos, atributos, classificação, espécies, revogação, invalidação e convalidação do ato administrativo. Poderes e deveres dos administradores públicos: uso e abuso do poder, poderes vinculado, discricionário, hierárquico, disciplinar e regulamentar, poder de polícia, deveres dos administradores públicos. Regime Jurídico dos Servidores Públicos Federais: Lei nº 8.112/90 com alterações posteriores: Provimento. Vacância. Direitos e Vantagens. Dos deveres. Das proibições. Da acumulação. Das responsabilidades. Das penalidades. Do processo administrativo disciplinar e sua revisão. Licitação e contratos administrativos: Lei nº 8.666/93 e alterações posteriores: Dos princípios. Das modalidades. Dos contratos. Da execução. Da inexecução e da rescisão. Das sanções. Lei nº 10.520/02: Do pregão. Do processo administrativo (Lei n° 9.784/99). Improbidade Administrativa (Lei nº 8.429/92). Noções de Direito do Trabalho: Dos princípios e fontes do Direito do Trabalho. Dos direitos constitucionais dos trabalhadores. Da relação de trabalho e da relação de emprego: requisitos e distinção. Dos sujeitos do contrato de trabalho stricto sensu: do empregado e do empregador: conceito e caracterização; dos poderes do empregador no contrato de trabalho. Do grupo econômico: da sucessão de empregadores; da responsabilidade solidária. Do contrato individual de trabalho: conceito, classificação e características. Da alteração do contrato de trabalho: alteração unilateral e bilateral; o jus variandi. Da suspensão e interrupção do contrato de trabalho: caracterização e distinção. Da rescisão do contrato de trabalho: das justas causas; da despedida indireta; da dispensa arbitrária; da culpa recíproca; da indenização. Do aviso prévio. Da duração do trabalho; da jornada de trabalho; dos períodos de descanso; do intervalo para repouso e alimentação; do descanso semanal remunerado; do trabalho noturno e do trabalho extraordinário. Do salário-mínimo: irredutibilidade e garantia. Das férias: do direito a férias e da sua duração; da concessão e da época das férias; da remuneração e do abono de férias. Do salário e da remuneração: conceito e distinções; composição do salário; modalidades de salário; formas e meios de pagamento do salário; 13.º salário. Da prescrição e decadência. Da segurança e medicina no trabalho: das atividades perigosas ou insalubres. Da proteção ao trabalho do menor. Da proteção ao trabalho da mulher: da estabilidade da gestante; da licença-maternidade. Do Direito Coletivo do Trabalho: das convenções e acordos coletivos de trabalho. Das comissões de Conciliação Prévia. Da renúncia e transação. Noções de Direito Processual do Trabalho: Da Justiça do Trabalho: organização e competência. Das Varas do Trabalho, dos Tribunais Regionais do Trabalho e do Tribunal Superior do Trabalho: jurisdição e competência. Dos serviços auxiliares da Justiça do Trabalho: das secretarias das Varas do Trabalho; dos distribuidores. Do processo judiciário do trabalho: princípios gerais do processo trabalhista (aplicação subsidiária do CPC). Dos atos, termos e prazos processuais. Da distribuição. Das custas e emolumentos. Das partes e procuradores: do jus postulandi; da substituição e representação processuais; da assistência judiciária; dos honorários de advogado. Das exceções. Das audiências: de conciliação, de instrução e de julgamento; da notificação das partes; do arquivamento do processo; da revelia e confissão. Das provas. Dos dissídios individuais: da forma de reclamação e notificação; da legitimidade para ajuizar. Do procedimento ordinário e sumaríssimo. Dos recursos no Processo do Trabalho. Da execução: da citação; do depósito da condenação e da nomeação de bens; do mandado e penhora; dos bens penhoráveis e impenhoráveis; da impenhorabilidade do bem de família (Lei nº 8.009/90 e alterações posteriores). Dos embargos à execução. Da praça e leilão; da arrematação; da remição; das custas na execução. Dos recursos no Processo do Trabalho. Processo Judicial Eletrônico – PJE. Lei nº 11.419/2006; Medida Provisória nº 2.200-2, de 24/08/2001; Resolução nº 94, de 23/03/2012 e alterações, do Conselho Superior da Justiça do Trabalho. Noções de Administração Pública: A evolução da Administração Pública e a reforma do Estado: Convergências e diferenças entre a gestão pública e a gestão privada; Excelência nos serviços públicos; Excelência na gestão dos serviços públicos. Gestão de Pessoas: Conceitos e práticas de RH relativas ao servidor público; Planejamento estratégico de RH; Gestão do desempenho; Comportamento, clima e cultura organizacional; Gestão por competências e gestão do conhecimento; Qualidade de vida no trabalho; Características das organizações formais modernas: tipos de estrutura organizacional, natureza, finalidades e critérios de departamentalização; Liderança, motivação e satisfação no trabalho; Recrutamento e seleção de pessoas; Análise e descrição de cargos. Educação, Treinamento e Desenvolvimento: Educação corporativa; Educação à distância; Planejamento, desenvolvimento e objetivos do ensino; Avaliação.


A verdade é que eu irei fazer este certame sem grandes pretensões, creio que nem animarei de estudar muito, mas o farei porque não aguento mais ficar parado sem prestar concursos.

Por enquanto é isso. Abraços e até a próxima.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...