domingo, 13 de novembro de 2016

Um funcionário público liberal é um hipócrita?


Ok, vou admitir. Eu tenho estado na folha de pagamento do governo por quase toda a minha vida adulta. Como um pai zeloso, o gigantesco Estado brasileiro me alimentou, me vestiu e possibilitou que eu perpetuasse minha honrada bem como sagrada gelada de fim de semana com os amigos. O poder público foi bom para mim.

Trabalhei pouco no setor privado, mas ainda assim pude notar uma série de grandes diferenças na filosofia, mentalidade e supervisão entre os setores privado e público. Ainda assim, apesar de tudo que recebi do Estado, eu me considero defensor de uma economia de teor liberal. Um concurseiro Liberal!? Isso mesmo, permitam-me explicar minha posição.

Além da corrupção em todos os setores da administração pública escancarada graças a Operação Lava Jato, podemos destacar um outro fator que explica  a crise econômica que acomete nosso país atualmente: má gestão pública. Me refiro ao total amadorismo demonstrado por nossos governantes nos últimos anos, que não souberam aproveitar a bonança ocasionada pelo boom das commodities dos anos 2000, os recursos financeiros obtidos foram quase que completamente direcionados ao aumento de despesa com pessoal e os investimentos públicos em infra estrutura são quase que nulos. Isso ocorreu no Brasil todo, embora hajam casos de destaque - como a gestão do Sérgio Cabral no Rio de Janeiro, a qual ocasionou a crise que vemos agora.

Juízes ganham mais de 4 mil reais somente de auxílio moradia, isso é uma completa incoerência para um país que tem uma saúde pública de qualidade ridícula onde muitas vezes faltam os remédios mais básicos. Mas este é apenas um exemplo dentre muitos que eu poderia elencar, um fato que fica claro é que os salários pagos aos funcionários públicos brasileiros são quase sempre completamente surreais, de modo que um servidor público recebe muito mais daquilo que fornece em troca para a sociedade.

Não consigo pensar em outra solução para os problemas do Brasil que não seja a diminuição deste Estado inchado, corrupto e incompetente. Sim, eu sou favorável a uma política econômica liberal por parte do Estado, e ao mesmo tempo sou concurseiro e funcionário público. Seria hipocrisia de minha parte?

De modo algum, eu apenas estou dançando conforme a música, não apoio a forma atual do Estado brasileiro, mas isso não me impede de fazer parte dele, afinal se eu não ocupar meu cargo outra pessoa necessariamente terá de fazê-lo, e quem sabe até essa pessoa possa ser algum funcionário público que não tenha a minha ética no trabalho, que não se esforçaria como eu faço para atender a sociedade, sabe, um daqueles arquétipos que passa a tarde jogando paciência no pc.

Eu procuro ser um ótimo funcionário público, ético e eficiente, porém não é difícil constatar que eu devo ser minoria no meio, portanto o ideal para o Brasil seria optar por um caminho liberal.

A tão falada PEC 241 que se aprovada limitará os gastos públicos nos próximos vinte anos é um ótimo começo como ferramenta de diminuição do gigantismo do Estado brasileiro...

Por enquanto é só, ainda não sou rico, então sigo na luta nessa minha carreira de concurseiro.


3 comentários:

  1. Não acho hipocrisia não. Eu também sou concurseiro e me considero liberal e gostaria que o Estado huehueBR fosse menor. Na minha visão, o estado deveria cuidar apenas de saúde, segurança, educação e fiscalização. Agora, fica meio complicado defender redução de estado e trabalhar em empresa pública, mas no fim das contas depende de como você encara o seu trabalho.

    ResponderExcluir
  2. Ah, li recentemente um post excelente sobre o mesmo tema: http://kleitongoncalves.blogspot.com.br/2017/01/servidor-publico-liberal-vs-servidor.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com certeza MIN, basta encarar o trabalho com seriedade. Esse texto está muito bom mesmo, eu já o havia lido, gostei tanto que inclusive acrescentei o blog de origem no meu blogroll

      Excluir

Nobres leitores, se eu demorar a responder, é porque provavelmente tô fazendo cosplay de eremita e estudando pra concursos.

Aquila non capit muscas