sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Efeito Dunning-Kruger e concursos públicos




"A fool thinks himself to be wise, but a wise man knows himself to be a fool."

"Um tolo acha que ele é sábio, mas o homem sábio sabe que é um tolo."
William Shakespeare





O que é o efeito Efeito Dunning-Kruger?

Para você que não sabe, de forma breve podemos definir o Efeito Dunning-Kruger como um viés cognitivo em que as pessoas de baixa capacidade intelectual possuem tendencia a superioridade ilusória, avaliando erroneamente sua habilidade cognitiva como maior do que realmente é. O viés cognitivo da superioridade ilusória deriva da incapacidade de pessoas de baixa habilidade em reconhecerem a sua própria inépcia; sem a autoconsciência de possuírem conhecimento limitado sobre determinado campo do conhecimento, as pessoas de baixa habilidade não podem avaliar objetivamente sua competência ou incompetência real.

Por outro lado, indivíduos altamente competentes subestimam o seu conhecimento e portanto podem presumir erroneamente que as tarefas fáceis de executar também são fáceis para pessoas leigas realizarem ou que outras pessoas terão uma compreensão semelhante de assuntos que eles próprios estão bem versados.

O nome é oriundo daqueles que primeiro estudaram o fenômeno, ainda na década de 1990, David Dunning e Justin Kruger.

O gráfico a seguir ilustra bem a situação:



Efeito Dunning-Kruger e concursos públicos

Você pode verificar o efeito Dunning-Kruger no cotidiano em qualquer área do conhecimento - sugiro o Facebook, terreno mais fértil para isso -, no âmbito dos concursos públicos, diria que essa síndrome de desconhecimento da própria incompetência acomete mais e em maior intensidade os concurseiros mais inexperientes. Aqueles que dizem algo como "ah, mas este concurso é de ensino médio, deve ser fácil".

Geralmente e felizmente o choque de realidade é dado na primeira prova competitiva - ou seja, praticamente qualquer prova que não seja pra ganhar salário baixo no poder executivo municipal -. Infelizmente, em alguns casos, o efeito pode persistir, o candidato continua tentando e apanhando sem se dar conta de sua própria inaptidão na área concurseira e insistindo em não se preparar, achando que já possui conhecimento suficiente para o sucesso no certame.

É como naquele já clássico artigo da desciclopédia:

"Tava fácil..."
ô Coitado 

"Até que tava bom..." 
O medíocre - mediano

"Foi boa a prova, vamos esperar o resultado."
O possível aprovado 

"..."
O aprovado 


13 comentários:

  1. Caramba Astronauta, como eu conheci pessoas assim! Descreveu muito bem.

    PS Fui ao Desciclopédia ver o artigo, nossa, muito engraçado! kkkkk

    Abraços colega

    ResponderExcluir
  2. Certo dia, anos atrás, após uma prova de concurso encontrei um colega q havia feito a prova e papo vai papo vem esse colega soltou que iria ficar em 1 lugar e que a prova estava muito facil.
    Eu, bem tranquilo, apenas disse q tinha feito a prova. Falei para ele que, como ele tinha passado, era só aproveitar agora. Depois o assunto se encerrou.
    Passou alguns meses e o resultado saiu. Uma amiga ligou na minha casa e me avisou que meu nome estava lá...
    O 1° lugar nao era meu colega.... era eu! Meu colega nem estava na lista de classificação.... o nome nem apareceu...
    Humildade sempre!
    Abraço e sucesso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. KKK, q história em Investidor Mineiro, é algo que tento manter no dia dia, uma posição sóbria sem querer contar vantagem com oq qr q seja.

      Abraços!

      Excluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. é o efeito q separa aprovados e massa + concurseiros nutella de instagram.
    Ainda não tinha visto na desciclopedia, por trás da zoeira muitas verdades kkkkk.

    Hj com a concorrência insana e a peneira aumentando só espero o pior das bancas. "Só sei que nada sei". Sejamos humildes.
    Minha primeira aprovação peguei o 2º lugar, saí da prova confuso, nem tinha o q dizer (nem disse pra ninguém). Foi dito e feito, como citado no artigo:

    "..."
    O aprovado

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isso aí Petisco, obg por partilhar sua experiencia pessoal com o tópico, grande abraço!

      Excluir
  5. Fala, Astronauta! Excelente post!

    Como ta a vida de concurseiro? Vou te dizer que de vez em quando bate uma saudadezinha de estudar, vê se pode!

    Mas quando vejo alguns concursos cobrando arquivologia e AFO, a vontade passa rápido!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. kkk, tem que animar pô.

      Eu to parado, por uma razão ou por outra no momento não há qlr edital de meu interesse.

      Abço.

      Excluir
  6. Não conhecia o nome técnico dessa dissonância, mas já presenciei muitas vezes o fato descrito.

    Sempre me assustou perceber que, quanto mais burra, mais confiante é a pessoa sobre seus posicionamentos. Meu Deus! Absurdo.

    Excelente post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, sempre havia notado isso no dia dia - talvez eu mesmo tenha feito muito isso quando mais jovem - mas não sabia que já haviam estudado o fato, rs.

      Obrigado pela participação, Concursado.

      Grande Abraço.

      Excluir

Galera, se eu demorar a responder, é porque provavelmente tô fazendo cosplay de eremita e estudando pra concursos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...